sábado, 6 de fevereiro de 2016

Eu sou o outro

Abílio Rocha, empregado de balcão de um conhecido café de Lisboa, próximo de Pessoa, conduz-nos num périplo pelos mundo de Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos, cruzando a obra de Pessoa ortónimo e heterónimos com a sua própria vida.
Uma vida plena dos sonhos e ilusões próprios de quem tem as suas raízes num Portugal profundo e conviveu, de perto, com um dos poetas mais consagrados da nossa língua. Uma vida que ecoa nas cordas do seu bandolim, fazendo vibrar o próprio eixo da nossa herança, da nossa identidade.